Marco Van Basten 8825 de junho de 1988 deverá ser o dia mais emblemático de toda a história dos Europeus de futebol. Não é apenas uma questão geracional, a vitória da Holanda e o golo de Marco Van Basten marcaram a memória e a importância deste dia de forma quase inigualável. A principal razão? A equipa que apaixonara o mundo na década de 70 conseguia, finalmente, bater a história e conquistar um título. O único até aos dias de hoje.

A Holanda até tinha começado o Euro a perder com a União Soviética, mas desta vez ia ser diferente. Não permitindo a iniciativa aos russos, a capacidade ofensiva de Gerald Vanenburg, Erwin Koeman, Marco Van Basten e Ruud Gullit começou cedo a criar uma diferença entre os dois conjuntos, ao ponto de, na nossa memória, ter mesmo ficado apenas a equipa laranja.

Ruud Gullit, num cabeceou sem hipóteses para Dasaev à passagem da meia-hora e a Holanda foi para o intervalo a ganhar. No início da segunda parte, a partir de um cruzamento de Arnold Muhren, Marco Van Basten foi olhando para a bola com um angulo cada vez mais apertado, até que terá feito um dos golos do século.

O título, com o mesmo técnico que levara a Holanda à final do Mundial de 74 sentado no banco, terá tido um sabor especial para Rinus Michels. Porque saberá muito bem ser um mito, mas não se pode substituir a sensação de se ser, realmente, um vencedor.

Anúncios