Ainda sem vencer na Liga NOS, Carlos Pinto encontrou ontem, em Guimarães, uma oportunidade para mexer na organização da sua equipa. Contando com o esquerdino Welthon no plantel, e procurando equilibrar linhas no meio-campo recuando Andrézinho, explorou o princípio da sobrecarga.

O avançado surgia, no papel, como o elemento mais adiantado do onze, mas, na prática, procurou sempre o seu espaço natural a partir da faixa direita, tentando através das diagonais desequilibrar a defensiva vimaranense. A maioria dos seus toques de bola durante o encontro foram feitos nessa zona.

Toques de Welthon
Toques de bola de Welthon no encontro frente ao Vitória de Guimarães.

Carlos Pinto terá mesmo acreditado no sucesso desta opção quando, logo no primeiro minuto, este princípio deu golo. Welthon procurou a faixa, para onde veio, também, o extremo, ocupando assim a atenção do lateral-esquerdo do Vitória. Depois, numa triangulação, isolou-se na área para fazer a assistência para o golo do Paços (ver imagem no topo).

O resultado final não terá sido o desejado. Mas, para Carlos Pinto, parece encontrada uma fórmula para voltar a utilizar fora de casa, frente a equipas que se apresentem mais fortes.

Anúncios