O encontro frente ao Fenerbahce permitiu às contratações do Sporting mostrarem as evidências daquilo que penso serem as ideias de Jorge Jesus para a sua equipa.

A merecer maior destaque, Bruno Fernandes. Em primeiro lugar, porque deixa claro que, na eventualidade da saída de Adrien Silva, o lugar de nº 8 é seu. Mais, Bruno Fernandes demonstra um potencial para ocupar aquela posição superior ao que o seu, ainda, companheiro de equipa, demonstrava na mesma idade. Bruno correu toda a largura do campo, apresentando-se pronto a dar resposta defensiva, e ocupando espaços quer na direita, quer no corredor central, quer na esquerda, que facilitaram muito a presença do Sporting no meio-campo adversário. Bruno Fernandes é daqueles jogadores que reúne o potencial para se organizar a equipa à sua volta.

Na linha defensiva, impressões distintas. Jérémy Mathieu deu os primeiros sinais de que chega para ser o líder defensivo da equipa. Certinho na forma de compensar as subidas dos seus companheiros, com capacidade de resposta para, no momento de recuperação da bola, dar uma saída organizada. Fábio Coentrão terá faixa esquerda para explorar e, neste momento, é incógnita pelo facto de ter que recuperar física e animicamente depois de várias épocas em sub-utilização. O lado positivo parece ser que, neste caso, essa recuperação se fará para ser titular, o que poderá ser a motivação que vem faltando ao internacional português. Piccini, que ficou com caminho livre para ser titular com a saída de Schelotto, é um jogador que oferece profundidade à equipa, tem a dimensão física que Jorge Jesus prefere, mas não demonstra a apetência para ser um lateral evoluído que esta equipa pede.

É por aqui que se merece dar ainda nota de um outro jogador, Radoslav Petrovic, que parece confirmar as qualidades que demonstrou no Rio Ave e que lhe eram reconhecidas antes de chegar a Alvalade. Confirmando-se a aposta, Petrovic poderá contar como opção para a equipa leonina, ainda que partilhe o estilo com João Palhinha. O sérvio tem qualidade na leitura do jogo, na saída com bola e no passe. Mas os maiores problemas do Sporting, num período antes do intervalo em que o Fenerbahce dominou, passou também por aqui. A inteligência dos laterais e o seu posicionamento serão factores diferenciadores na proposta de Jorge Jesus. Já na temporada passada, houve em alguns jogos dificuldades que se repetem aqui. O trabalho a fazer passará por conseguir o treinador influenciar a partir das suas ideias, nas situações em que a solução apresentada pelos jogadores é frágil.

Na frente, Doumbia deixa também claro para o que vem. Podendo jogar como segundo avançado em dupla com Bas Dost nos jogos mais exigentes, será como elemento mais adiantado que ajudará a fazer a diferença. Rápido, oportuno e finalizador. Com tudo para, em parceria com outros avançados criativos que o Sporting tem, ser garantia de golos.

Anúncios