Mais de 21000 pessoas enchiam o Estádio Galgenwaard em Utrecht para assistir à estreia da Holanda no Europeu por si organizado. As ambições dos adeptos da equipa da casa foram totalmente cumpridas com a vitória da Laranja Mecânica.

Não deixa de ser curioso que, numa fase em que a equipa masculina holandesa passa por dificuldades para impor o seu futebol, o conjunto feminino alcance uma vitória frente a uma das equipas poderosas da Europa, jogando exactamente aquilo que se espera de uma equipa holandesa.

Num 4-3-3 que conseguiu dar dominância no meio-campo, impondo uma vantagem numérica que, sobretudo na segunda parte, a Noruega não contrariava, a largura oferecida pelas suas jogadoras nas faixas do ataque quebravam por completo as tentativas de resistência da equipa visitante.

O objectivo passava por tentar alimentar a ponta-de-lança Miedema, que pela sua mobilidade e capacidade de entender o jogo em constante mobilidade, nada deve aos melhores avançados centros nascidos no país das tulipas. Mas acabou por ser numa jogada entre extremos que Mertens, a jogadora em maior destaque na partida, fez a assistência para Van de Sanden cabecear para o fundo da baliza.

A festa fez-se em tons laranja, neste jogo de abertura. Não foi só o futebol feminino que ganhou com o espectáculo oferecido pelas duas equipas nesta partida. Foi o futebol holandês que volta a encontrar na sua história e nas suas características naturais a resposta para ficar mais perto do sucesso.

Anúncios