A pausa nos campeonatos nacionais para a realização de jogos de seleções encontraram, este ano, a data perfeita. Porque entre 28 e 31 de Agosto, o principal tema futebolístico parecem ser as transferências.

Depois de um verão inteiro para escolher o jogador certo, a generalidade das equipas europeias aproveita os últimos dias do mercado para fazer acertos nos seus plantéis. Por um lado, a pressão financeira a exercer-se sobre as equipas de menor poderio económico, por outro, as evidências demonstradas pelas primeiras jornadas dos respectivos campeonatos.

Se muitos treinadores se queixam do facto de não poder trabalhar o início de temporada com o grupo com que contará para toda a época, talvez mais assumam, para si mesmos, estas semanas como uma benção. Poder experimentar e encontrar soluções com o campeonato já em andamento permite acertar agulhas que ficaram por consertar.

Mas esta última semana é, também, uma semana de enormes perigos para vários clubes. Em lugar de contratações ponderadas, observadas e cuidadosamente analisadas, expõem-se a oportunidades entre as sugestões de agentes e a voragem dos adeptos que desejam novidades.

Cada golo falhado, cada passe errado, cada deslize defensivo das jornadas disputadas em Agosto serviram como argumento para se ir ao mercado procurar opções. A grande maioria das equipas não evitará. Mas a probabilidade de se estar a pagar demasiado dinheiro por pouco rendimento é grande. Na semana em que a preocupação se centra mais nas transferências do que no jogo, é que se arranjam problemas para a época que está apenas a começar.

Anúncios