O Corinthians perdeu, ontem, para o Bragantino, no jogo dos quartos-de-final do Paulistão 2018, tendo agora que recuperar no encontro da segunda mão. A equipa de Fábio Carille voltou a revelar problemas de controlo de profundidade e largura na sua linha defensiva, bem como de cobertura no momento dos dribles, que é uma das características a melhorar pelo conjunto na aproximação ao Brasileirão.

Graças ao trabalho realizado por Danilo Sardinha no GloboEsporte, apontei dois problemas que a equipa do Corinthians vinha revelando no Campeonato Paulista, o controlo da largura da sua linha defensiva e os problemas de cobertura defensiva.

Erros que dão golos

Frente ao Bragantino, a equipa do Corinthians perdeu por 2-3, esses problemas voltaram a revelar-se. No primeiro golo, apesar das imagens disponíveis não confirmarem o posicionamento de Clayson quando existe a troca de bola dentro da área do Corinthians, a distração do extremo na recuperação de linha defensiva acabou por colocar Matheus Peixoto em jogo.

Já na segunda parte, os problemas de controlo de profundidade voltaram a revelar-se, com algumas dificuldades da equipa a fechar o seu bloco e, a partir daí, a sofrer frente a um Bragantino que Marcelo Veiga preparou para tentar chegar longe no Paulistão.

A linha defensiva do Corinthians voltou a revelar problemas para se manter alinhada no controlo da profundidade, o que conjuntamente ao espaço dado aos médios mais ofensivos do adversário, criaram situações de chegada do Bragantino na área.

Profundidade
Problemas no controlo de profundidade e no estabelecimento do bloco defensivo

Também nas questões da cobertura se voltou a sentir permissividade da defesa do Corinthians, como no lance do segundo golo, em que lateral e extremo foram ultrapassados, aproveitando o jogador do Bragantino todo o espaço existente estes e os defesas-centrais. Dali saiu o remate que, não contido por Cássio, viria a dar golo para o Bragantino.

Cobertura
Erro de cobertura gera lance de golo

Laterais de duelos perdidos

Os laterais titulares do Corinthians têm revelado algumas dificuldades para se imporem nos duelos diretos, dados que acabam por ser consequência das fragilidades defensivas da equipa. Sidcley, em três jogos disputados, tem apenas 60% de duelos conquistados, enquanto Fagner, convocado para a seleção brasileira, com doze jogos disputados, tem 58% de duelos conquistados. No jogo de ontem, os dados acabaram por pesar negativamente nas exibições dos dois laterais, com Fagner e Sidcley a estarem abaixo das suas médias habituais.

Minutos Duelos Disputados Duelos Ganhos
Sidcley 90 16 9
Fagner 69 5 2
Guilherme Mantuan 21 1 0

Dados dos laterais do Corinthians no jogo frente ao Bragantino. Fonte: SofaScore

As situações referenciadas no comportamento defensivo do Corinthians são passíveis de serem resolvidas com a evolução pensada por Fábio Carille, precisando de, além da sua identificação, rotinas de treino que permitam, na chegada ao Brasileirão 2018, não voltar a permitir tantas oportunidades aos seus rivais.

 

Para ler o artigo de Danilo Sardinha, visite o site da GloboEsporte

Anúncios