Foi uma escolha surpreendente do Bayern de Munique, sobretudo num momento em que tantos nomes com melhor imprensa estavam livres e na iminência de serem anunciados para tomar conta do grande dominador do futebol alemão. Niko Kovac viu o seu nome ser questionado e a sua capacidade para tomar conta de um balneário cheio de grandes personalidades em causa.

Não foi preciso muito tempo para que essas dúvidas se diluíssem na forma como o Bayern tem sido dominador, não só na Bundesliga, mas também na Europa, onde se estreou na noite de ontem, sem grandes problemas, com uma vitória no Estádio da Luz.

De Franck Ribéry já se tinham ouvido elogios à maneira como Kovac comunica com a equipa, sentindo o francês o novo técnico como alguém que se juntou ao grupo, como se fazendo parte dele há muito, para saber exatamente como lidar com as estrelas do Bayern. É essa sensação de pertença a uma grande família que o clube de Munique tem para oferecer a treinadores e jogadores, e o croata, que tem trabalhado sempre com o apoio do seu irmão Robert, reconhece-se nesses valores.

Na noite de ontem, no Estádio da Luz, mais um sinal desta capacidade de Kovac lidar com os jogadores que tem. Renato Sanches foi lançado como titular, apenas dias depois de ter feito parte, pela primeira vez esta época, da lista de convocados para o jogo frente ao Bayer Leverkusen. A golo alcançado pelo internacional português, e a forma como foi saudado pelas bancadas da Luz, são tema para ficar para a história. A sua exibição, de forma clara, ainda está longe daquilo que o Bayern espera para os seus médios do corredor central (Thiago, lesionado, e Goretzka foram as outras opções da convocatória), mas no que toca à confiança, Niko Kovac já conquistou Renato.

Depois de ter sido o último jogador a abandonar o relvado da Luz, debaixo de aplausos, tinha Kovac junto da linha lateral, pronto a abraçá-lo, num claro sinal de que estamos perante um homem que fala ao ouvido dos seus jogadores.

Anúncios