O sucesso do trabalho de Pedro Martins no Vitória de Guimarães está bem patente naquela que é a posição atual dos vimaranenses na tabela da Liga portuguesa. Este fim-de-semana, a sua tarefa perante o Nacional dificultou-se por ter ficado com menos um elemento em campo, ainda na primeira parte, tendo depois que dar a reviravolta ao marcador com apenas dez jogadores.

Ainda assim, a equipa não deixou de pressionar alto a saída de bola dos madeirenses e é de uma situação destas que sai o primeiro golo. Com o Nacional a criar três triângulos na sua primeira fase de construção, o Vitória de Guimarães, com menos um elemento, não deixou de se posicionar para quebrar a eficácia da dinâmica adversária. Com Raphinha a atacar o homem com bola, o Nacional vai ceder numa situação que já vimos outras vezes por aqui. Má postura com bola, incapacidade para entender as linhas de passe que estavam abertas, ansiedade no momento de dar seguimento ao lance.

vg-1

Raphinha corta e, compassado com o movimento do seu colega, Tiquinho Soares revela um entendimento perfeito das possibilidades, dando dois passes atrás para se colocar em jogo quando a bola sai dos pés do seu companheiro.

vg-2

A continuidade do lance permite-nos entender outra das qualidades do ponta-de-lança. Mesmo pressionado por um defesa, mesmo aproximando-se o guarda-redes, Tiquinho aguenta a posse de bola até encontrar o momento certo para atirar à baliza.

vg-3

Um golo que quebraria a vantagem do adversário e relançaria o Vitória de Guimarães na discussão do resultado.

Para ver, aqui.

Anúncios