Em semana de final da Eurocup, disputada entre as equipas do Valencia Basket e do Unicaja Málaga, o selecionador nacional de basquetebol, Mário Gomes, falou-nos sobre as qualidades do basquetebol espanhol e as ligações deste com o que se vai fazendo em Portugal.

Para Mário Gomes, “o facto de a final da Eurocup ser disputada por duas equipas espanholas não tem nada de surpreendente, diria mesmo que é algo natural, o que não significa que seja fácil chegar à final desta competição, pois a mesma tem muitas equipas de alto nível.” O selecionador nacional destaca que “as equipas espanholas, além da sua qualidade intrínseca, a todos os níveis (jogadores, treinadores, organização), têm uma vantagem sobre as restantes: disputam a Liga mais competitiva da Europa, o que as torna equipas muito rotinadas a jogar ao mais alto nível, é algo de natural para os seus jogadores e treinadores.”

Mas o basquetebol é muito mais do que a sua principal liga. “Acompanho tão de perto quanto me é possível o basquetebol espanhol e, ainda há pouco tempo, tive oportunidade de assistir ao vivo à Copa del Rey e à Minicopa, que é uma competição que junta as melhores equipas de Sub-14 de Espanha” – destaca Mário Gomes. “Na minha opinião, o elevado nível do basquetebol de Espanha deve-se, em primeiro lugar, ao excelente trabalho de formação de jogadores, alicerçado na grande qualidade de muitos treinadores que se dedicam a formar jogadores”, afirma quem detém, também, o cargo de Director Técnico Nacional.

Sobre as pontes que podem ser criadas entre os dois países, Mário Gomes afirma que “o intercâmbio com Espanha tem vantagens óbvias para nós e deveria ser mais assíduo e regular do que tem sido nos últimos anos. A crise económico-financeira dos últimos anos, que está longe de estar debelada, originou cortes drásticos em todos os sectores de actividade e os recursos do nosso basquetebol sofreram uma acentuada quebra que se reflectiu negativamente também nos contactos com Espanha, que são hoje bem mais reduzidos do que já foram num passado não muito distante.

Existe, por isso, um caminho a fazer no futuro. “É, para mim, óbvio que incrementar e alargar o mais possível os contactos com o basquetebol espanhol deve ser uma âncora para o nosso desenvolvimento qualitativo, pois permitirá aos nossos jogadores, treinadores e equipas competirem a um nível superior ao nosso, algo que é imprescindível para que haja evolução”, sublinhou o selecionador nacional.

Os jogos da final da Eurocup podem ser acompanhados pela transmissão directa do Eurosport 2. A disputa desta final começa na terça-feira, dia 28 de Março, com o primeiro encontro a jogar-se no La Fonteta, em Valencia. A segunda partida, marcada para 31 de Março, terá lugar no Martín Carpena, em Málaga. Em caso de empate, as duas equipas regressarão a Valencia para jogar a partida decisiva no dia 5 de Abril.

Mais depoimentos sobre estes encontros e a passagem de jogadores portugueses em Espanha podem ser encontrados no site do Eurosport.   

Anúncios