A concentração defensiva estará na base do sucesso neste jogo. O primeiro passo para ganhar é não sofrer.

Sérgio Conceição

Uma das qualidades que devem ser sublinhadas no ingresso de Sérgio Conceição ao Futebol Clube do Porto é a forma como este fala abertamente do seu pensamento sobre o jogo. Mais, o técnico portista, também se apresenta actualizado sobre os conceitos do jogo, conseguindo, por isso, explicar de forma mais clara os processos que preconiza para a sua equipa.

Para o encontro de Leipzig, não é uma surpresa que Sérgio Conceição venha relevar a importância de não sofrer golos. O contexto competitivo do Grupo G oferece uma vantagem aos portistas e a capacidade do ofensiva do adversário criará alguma preocupação. Mas é importante abarcar a utilização do conceito da concentração defensiva como uma ideia que está em profunda evolução dentro da análise do futebol.

Não se trata já de um conceito meramente aplicável ao sentido espacial do jogo, com a organização defensiva em bloco, tendo na aproximação dos seus elementos uma criação de solidez em rede que impediria a penetração do RB Leipzig em drible pelo sector central do terreno. É, hoje, também um conceito mental, sublinhando a importância do foco competitivo da equipa na abordagem dos momentos sem bola.

Depois de ter passado com distinção nos testes do Monaco e de Alvalade, onde os adversários também colocavam exigências que era preciso conter (daí a entrada de Sérgio Oliveira no onze), Sérgio Conceição tem noção de que menos responsabilidade no resultado do jogo, não pode gerar menos capacidade de resposta. Até porque a organização ofensiva do RB Leipzig e o seu domínio das transições colocam questões que precisam de respostas diferentes.

Cumprir com as dimensões físicas e mentais do conceito de concentração é um desafio para mais do que este jogo. É uma etapa fundamental do crescimento de um FC Porto cada vez mais sólido.

 

Um artigo para ler no novo blogue do Linha Lateral.

Anúncios