Como tornar o “Soccer” relevante no futebol mundial

Se o sonho de vários empresários que, ao longo dos anos, desejaram tornar os Estados Unidos a meca do futebol mundial, alguma vez esteve perto de se realizar, a actualidade demonstra que a melhor forma de o fazer será através de pequenos passos. A Major League Soccer, competição que completa vinte e um anos de vida, está cada vez mais sólida e apetecível para quem quer fazer negócio no futebol.

História e Expansão

A criação da MLS foi uma das contrapartidas colocadas em cima da mesa pela FIFA para dar aos Estados Unidos da América a organização do Mundial de futebol em 1994. Assim, cumprindo com o estabelecido em 1996, a Federação local inaugurou uma prova com dez equipas, onde para além das estrelas da seleção nacional, figuravam alguns dos craques americanos do momento, como o mexicano Jorge Campos e o colombiano Carlos Valderrama.

A tentação inicial foi a de estabelecer algumas regras próprias, numa prova onde não existiam empates e os jogos eram decididos com jogadas de um contra um em meio-campo. Tentando atrair um público composto, essencialmente, por adeptos latino-americanos, a utilização de grandes estádios construídos para outras modalidades, como o futebol americano ou o basebol, apresentava como problemas o seu tamanho (com as bancadas vazias a tornarem-se uma realidade constante) e a qualidade do relvado (que impossibilitava um jogo de qualidade).

Os problemas financeiros também foram uma realidade dos primeiros anos, com equipas que foram desactivadas ao fim de poucos anos e uma demora em encontrar estádios específicos para a realização dos jogos. Columbus, no Ohio, foi a primeira cidade a ter, de raiz, um estádio para futebol, inagurado em 1999, mas só três anos depois a Liga começou a crescer, devido ao interesse provocado pela boa prestação da seleção no Mundial 2002.

Hoje em dia, a MLS agrupa vinte e duas equipas dos Estados Unidos e do Canadá, com mais uma a ter estreia marcada para 2018. O seu administrador coloca em vinte e oito o número que pretende atingir no futuro próximo. Com um público conquistado em diferentes franjas da sociedade, com especial relevância para as mulheres, o aumento do número de praticantes entre a juventude e uma grande maioria das equipas com estádios construídos para esta modalidade, o panorama transfigurou-se.

O envolvimento de investidores americanos e estrangeiros, a presença de grandes marcas no patrocínio da prova – Adidas, Audi, Coca-Cola, Continental, Heineken e Tag Heuer são alguns dos sponsors – e os contratos de transmissão televisiva para o mundo inteiro oferecem uma capacidade mediática e empresarial que não tem comparação com o passado.

Controlo orçamental e modelo competitivo

Com a Liga a deter o controlo orçamental das diferentes equipas, a MLS destaca-se pela forma como gere a distribuição salarial nos seus plantéis. Cada equipa pode ter até um máximo de trinta jogadores com contrato, sendo que quatro deles podem ter um salário anual livre.

Tomando como exemplo a equipa dos Chicago Fire, o campeão do mundo Bastian Schweinsteiger tem um contrato anual no valor de 5.400 mil dólares, enquanto o húngaro Nemanja Nikolic, um dos melhores avançados da prova, tem um contrato de 1.700 mil dólares. O brasileiro Juninho (700 mil dólares) e o holandês Johan Kappelhof (530 mil dólares) são outros dois jogadores designados, enquanto titulares habituais como o norte-americano Dax McCarty (400 mil dólares) e o português João Meira (150 mil dólares) têm contratos já estabelecidos dentro dos limites da Liga.

O modelo competitivo é outra das singularidades da MLS no mundo do futebol. Depois de uma temporada de trinta e quatro jornadas, as doze melhores equipas disputam, em eliminatórias, um playoff que definirá o campeão no início de dezembro. Em Portugal, todos os jogos desta fase têm transmissão nos canais Eurosport.

O futuro do futebol nos EUA

Eliminado na fase de apuramento para o Mundial 2018, algo que não acontecia desde 1986, o futebol dos Estados Unidos vive um período de reflexão. De certa forma, todo o investimento feito na formação de jogadores, aumentando a qualidade média do jogador dos Estados Unidos e do Canadá, permitiu também uma maior experiência competitiva a jovens de países da América Central, de países como a Costa Rica, Honduras ou Panamá, todos eles na rota da Rússia.

A saúde da Liga precisa, desta forma, de encontrar um equilíbrio do ponto-de-vista desportivo, o que deverá passar pelo aumento da qualidade dos treinadores. Tendo passado por fases de imigração de técnicos ingleses e alemães, a formação de técnicos nos Estados Unidos só agora começa a dar passos mais consistentes.

A união dos esforços a nível económico, comunicacional e desportivo, através de pequenos passos que nunca terão sido a opção dos “pioneiros” da modalidade nos Estados Unidos, é agora o caminho mais válido para tornar o “soccer” relevante no futebol mundial.

Artigo publicado no Semanário Vida Económica, 27 de Outubro 2017.

One thought on “Como tornar o “Soccer” relevante no futebol mundial

  1. O modelo MLS é muito interessante:

    Seja pela negativa:
    – Cartelização das equipas/franchises, condicionando os riscos do investidor através de um modelo que não tem despromoção/promoção entre ligas;
    – Limites que tentam impor aos salários dos jogadores, associando-os ao crescimento/contracção das receitas da liga;
    – Recompensa da incompetência das equipas com o acesso prioritário ao pool de recrutamento de novos jogadores;

    Seja pela positiva:
    – Visão estrutural sobre o desenvolvimento da liga
    – Estratégia colectiva na definição das novas fontes de receita, sejam contratos de transmissão televisiva, patrocinios, etc.;

    Poderiamos aprender muito na Liga Nos com as estratégias de Marketing institucional da MLS.

    Gostar

Deixe uma Resposta para JMJ Cancelar resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.