Convidei o Avelino Kiala, do site Pró Desporto, para me trazer uma memória da CAN. Ele fala-nos de um dos mais loucos jogos de sempre, do qual também me lembro muito bem. 

CAN disputada em Angola, estádio cheio em Luanda para o encontro de abertura frente ao Mali. Dia 10 de janeiro de 2010, as esperanças dos Palancas Negras estavam elevadas como nunca. No banco, o português Manuel José, com uma larguíssima carreira de sucesso em terras africanas. Em campo, uma série de jogadores com estatuto e provas dadas, como Manucho, Gilberto, Flávio Amado, Rui Marques, Zuela, Kali ou Carlos, junto de alguns jovens que prometiam fazer a diferença, como Mabiná ou Stélvio Cruz.

A lesão de Dedé cedo na partida era um contratempo, mas as coisas começaram a encaminhar-se bem ainda antes do intervalo, com Flávio a bisar. Já no segundo tempos, com dois penáltis, Angola chegava mesmo ao 4-0, com Gilberto e Manucho a cumprirem da marca dos 11 metros. O que ninguém esperava, e o Avelino Kiala nos faz o favor de contar com os olhos de quem o viu no local, foi aquilo que se seguiu.

Nunca digam que um jogo está acabado antes do árbitro apitar!

Anúncios