Estamos habituados a olhar para as grandes competições desportivas como eventos cada vez mais dedicados ao comércio e ao entretenimento, descurando a atividade desportiva como peça central do mesmo. No entanto, as grandes competições são oportunidades para a promoção das modalidades e da sua prática, não devendo ser descurado esse campo por todos aqueles que estão envolvidos na formação desportiva.

Vem este texto por ocasião de, no final desta semana, começar a realizar-se em França o Europeu de Futebol. Mas estando num verão em que terão lugar os Jogos Olímpicos no Brasil, o sentido do mesmo manter-se- á atual durante os próximos meses.

Para o caso do futebol, muitos dirão que a modalidade não precisa de mais promoção. Eu julgo o contrário, nunca para nenhuma modalidade a promoção é de dispensar. Até porque aquilo que sentimos como uma inundação do futebol em todos os meios, acaba muitas e tantas vezes por ser algo que é lateral ao fenómeno. Horas e horas de discussão sobre clubites, arbitragens ou negociatas da bola, pouco ou nada têm que ver com a realidade do futebol que pode atrair os mais jovens. Estes ficam encantados, sim, com a possibilidade de ver a bola rolar sobre os relvados dos melhores estádios, com mais de quinhentos jogadores de vinte e quatro países europeus a discutir um título.

Quase todos os grandes amantes do futebol têm na sua memória as grandes competições dos tempos de infância. No meu caso, para além de alguns flashes do Euro 84, foi no Mundial de 1986, disputado no México, que comecei a acompanhar a par e passo o que acontecia no futebol do mundo. E ainda hoje tenho bem presentes os nomes de vários jogadores que só por causa desse Mundial tive oportunidade de ver jogar. Para muitos miúdos e miúdas com cerca de dez anos, o Euro 2016 vai ser o seu primeiro grande campeonato, a primeira vez que tentarão simular os jeitos e as fintas que verão passar na televisão, a primeira vez que acabarão por adormecer a rever mentalmente os melhores golos de cada dia. E esse tipo de paixão será a base do seu envolvimento no desporto para o resto da vida.

Os Jogos Olímpicos repartem as oportunidades por um sem fim de modalidades que poderão ter o mesmo efeito encantador nas mentes dos nossos jovens. A atenção que é dada a modalidades como a natação ou o atletismo, reposicionam-nos perante a sua importância, tantas vezes esquecida na dimensão da piscina da nossa cidade ou nas corridas pelo Parque Verde. Ao mesmo tempo, ganham novo brilho modalidades como o basquetebol, o voleibol ou o andebol, enquanto alguns ainda se deixarão envolver pela magia da vela, do remo ou da canoagem.

É neste possibilidade de descoberta que deve estar o foco daqueles que, tendo responsabilidades na formação de jovens, os irão guiar pelos dias das competições. Alimentar o interesse pela prática desportiva, pelo conhecimento dos jogos e das regras, pelo encanto das técnicas e das táticas, é uma fonte de conhecimento que ficará para sempre aliada a uma magia única. Porque saber de bola não tem nada a ver com perceber de futebol.

Aproveitem!

Anúncios