Ao contrário do que diz a música dos GNR, aos 16 nem todos estarão fartos e fartos de esperar. Um bom exemplo disso é o jovem internacional canadiano, Alphonso Davies, que se tornou no primeiro jogador nascido no ano 2000 a marcar numa grande competição de selecções. Melhor, fê-lo por duas vezes no encontro da Gold Cup frente à Guiana Francesa.

Alphonso Davies não chegou aqui por acaso. Em 2016, a meio da temporada, assinou o seu primeiro contrato profissional com os Vancouver Whitecaps, tendo desde logo começado a ser utilizado na equipa principal. Esta temporada, tem já 13 jogos com a camisola da equipa canadiana que actua na MLS, seis deles como titular.

No jogo de ontem, percebeu-se também que as características do jovem jogador fazem dele um daqueles talentos de utilização imediata. O seu corpo e musculatura indicam uma maturidade precoce, permitindo-lhe ser um jogador explosivo, muito rápido, e com faro de golo, apesar de jogar como extremo. Parte da vivacidade demonstrada pela equipa canadiana deve-se, claramente, à rebeldia de Alphonso Davies, que tem vindo a crescer ao longo da temporada.

Num outro contexto, mais exigente, Alphonso Davies poderia evoluir com os jogadores da sua idade, correndo, no entanto, o risco de ser “gasto” antes de entrar no futebol sénior. Nos Vancouver Whitecaps e no Canadá, Davies é aposta desde já, sabendo-se que, muitas vezes, estes talentos não alcançam carreiras duradouras. Mas o primeiro passo para ficar na história está dado, com a Gold Cup 2017 a transformar-se na apresentação do jovem Alphonso ao mundo.

Anúncios