Olhar para a história dos confrontos entre Benfica e Porto desde a primeira edição do Campeonato Nacional da 1ª Divisão, em 1938/39, é confirmar um duelo de equilíbrios, mas também uma quase fiel explicação do que foi, e ainda é, o domínio do futebol português por estes dois emblemas.

A história do clássico na 1ª Divisão portuguesa começa a 5 de março de 1939, no Campo das Amoreiras, em Lisboa, com o Benfica a golear o FC Porto por 4-1, na que seria a única vitória encarnada nas edições da década de 30 da 1ª Divisão, enquanto os Dragões se sagravam bicampeões nacionais.

Na década de 40 do século passado, notou-se o maior domínio do Benfica, alcançando 65% das vitórias nos 20 encontros disputados. Foi nessa mesma década que os encarnados alcançaram a melhor média de golos no Clássico, com 3.55 tentos por partida, acabando por vencer 4 títulos, com o FC Porto a passar pela década em branco. Em 1942/43 registou-se, também, a maior goleada de sempre em clássicos, com o Benfica a vencer por 12-2, no Estádio do Campo Grande, destacando-se Julinho, como figura, com 4 golos.

Os anos 50 marcaram um novo predomínio azul e branco nos confrontos diretos, apesar do maior número de títulos para o rival. O FC Porto alcançou a sua vitória mais significativa em Lisboa, para jogos do campeonato, com o bis de Monteiro da Costa a valer uma vitória por 0-2 em 1950/51. Foi nesta década que, pela última vez, uma das equipas conseguiu uma média igual ou superior a 2 golos por jogo. Coube ao FC Porto um registo que nunca mais foi alcançado e, pela tendência dos últimos 58 anos, dificilmente voltará a ser possível de ver numa década de clássicos.

Dados históricos Benfica Porto
O Clássico ao longo dos tempos (Dados zerozero.pt)

Os 18 campeonatos sem títulos do FC Porto permitiram ao Benfica ser o grande dominador dos clássicos nas décadas de 60 e 70. Foram 13 títulos contra apenas 2, ainda que os confrontos diretos sempre tenham marcado uma forte resistência da equipa portista. Em 40 jogos, 16 vitórias para o Benfica e 12 para o FC Porto, que se manteve também equilibrado no número de golos, com um registo de 60-48 para a equipa lisboeta. A mais sólida vitória de sempre do Benfica na cidade do Porto, em partidas a contar para o campeonato, registou-se em 1974/75, com o resultado final de 0-3 a contar com os golos de Vítor Martins, Moinhos e Toni.

Os anos 80 marcam a mudança de testemunho, com o FC Porto a dominar durante 30 anos, com 17 títulos conquistados para apenas 7 do Benfica, registando-se, no confronto direto, 27 vitórias para os azuis e brancos e 14 para os encarnados. No que toca aos títulos, esse registo só começou a ser colocado em causa na última década, em que FC Porto e Benfica dividem, entre si, os oito títulos disputados.

Mas não deixa de ser curioso que esse equilíbrio na classificação final esconda um intenso período de domínio azul e branco. O Benfica venceu apenas 3 dos últimos 20 Clássicos disputados, registando-se neste período a maior goleada de sempre a favor do FC Porto, em novembro de 2010, com Silvestre Varela e os bis de Falcao e Hulk a valerem um marcador final de 5-0.

Anúncios