Merci Antoine

A seleção francesa voltou a ter um jogo de nervos, nos oitavos-de-final, ultrapassando a República da Irlanda por 2-1. Entrando praticamente a perder, com Brady a marcar numa grande penalidade, os franceses foram assistindo a uma atrevida equipa irlandesa dar tudo para, saindo do Euro, o fizesse com a cabeça erguida. Conseguiram-no e poderiam até … Continue reading Merci Antoine

A engenharia de um apuramento

Experimentem ao fim de 116 minutos de jogo estarem já numa situação em que, vendo um golo da vossa equipa, não se podem manifestar. Passei por isso há pouco, já em estúdio, no Eurosport, a comentar o Seattle Sounders - New York City enquanto num pequeno ecrã Cristiano Ronaldo rematava para grande defesa de Subasic … Continue reading A engenharia de um apuramento

Uma questão de vizinhança

O País de Gales andou por França a fazer figura mas, uma vez chegado ao Parque dos Príncipes, deu de caras com aquela sua velha vizinha para quem será sempre uma criança. Foi essa a sensação que este jogo deu na maior parte do tempo, com os galeses perante o incómodo papel de terem que … Continue reading Uma questão de vizinhança

Primeiro prato: cheio!

O encontro entre a Suíça e a Polónia ofereceu-nos um prato cheio logo a abrir os oitavos-de-final. Com os polacos a fazerem uma primeira parte de ritmo elevado e a expor a equipa suíça às fragilidades na fase de construção, não deixámos de ver o adversário a conseguir chegar com perigo perto da baliza de … Continue reading Primeiro prato: cheio!

O “lado mau” da força

E de repente metade do quadro de acesso à final do Euro 2016 tornou-se irrespirável. Se França, Alemanha e Itália cumpriram com o seu destino e atingiram os oitavos-de-final vencendo os respetivos grupos, o facto de Inglaterra e Espanha terem sido segundos classificados junta-os no “lado mau” da força. Na verdade, quase que poderíamos estar … Continue reading O “lado mau” da força

O “lado bom” da força

Começamos a análise dos oitavos-de-final focando-nos nos quatro encontros que compõem o quadro onde está inserido Portugal e que, nos últimos dias, foi na maior parte dos casos indicado como o “lado bom”. A principal razão para o referir é que nenhum dos históricos favoritos acabou por cair deste lado do quadro, com apenas Portugal, … Continue reading O “lado bom” da força

A fase de grupos revisitada

Fechada a primeira fase do Euro 2016, olhamos a cada um dos grupos, à procura desse balanço sobre os prognósticos e as realidades de cada uma das vinte e quatro equipas em competição. Mas apontemos, desde logo, como a grande surpresa a Hungria, que bateu todas as antevisões ao vencer o Grupo F, deixando para … Continue reading A fase de grupos revisitada

Guardados para o fim

O Grupo E foi o último a fechar contas na fase de grupos do Euro 2016, desrespeitando assim a ordem alfabética, e os seus intervenientes consideraram que a melhor forma de honrar a decisão da organização seria, lá está, também só decidir as coisas nos últimos minutos. Meu dito, meu feito, só nos derradeiros cinco … Continue reading Guardados para o fim

Da boca para fora

Não vamos fazer resumos do jogo mais louco deste Europeu. Um empate a três golos com a Hungria seria um resultado no qual poucos acreditariam, no início desta prova, mas acaba por ser aquele que se impôs num encontro em que Portugal quis ganhar mas, na maior parte do tempo, não soube como, e a … Continue reading Da boca para fora

Microfones há muitos

Não nos bastava todas as contas que nos andam a tentar fazer calcular desde sábado à noite, quando para vencer um jogo de futebol não há muitas contas a fazer, tal como não bastava todas as contradições entre aqueles que nos parecem ser os melhores para ir a jogo e aqueles que não estarão tão … Continue reading Microfones há muitos